Ascensão inédita ao Pico Paraná pela face Leste do Ibitirati - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Quase 2 mil metros de desnível

Ascensão inédita ao Pico Paraná pela face Leste do Ibitirati

O trio de montanhistas Elcio Douglas Ferreira, Jurandir Constantino e Rafael Galápagos abriram um novo itinerário ao Pico mais alto do Sul do Brasil que começa a 150 metros de altitude, passa pelo cume do Jacutinga 1100 metros e enfim atinge o cume do Pico Paraná, 1877 metros.

Fonte: Redação

O Pico Paraná, apesar de ter apenas 1877 metros de altitude, é uma montanha com um desnível topográfico impressionante, pois ela começa quase no nível do mar. Sua rota normal se dá pelo planalto, numa altitude de cerca de 900 metros numa trilha de 8 km de extensão.
 
Sabe-se de duas ascensões realizadas pela face Leste do Pico Paraná. Uma registrada e realizada pelo experiente montanhista Edson "Du Bois" Struminski em 2008 e outra, sem registro divulgada boca a boca que teria sido levada a cabo pelo montanhista Alexandre Pacheco e amigos.
 
A rota aberta por Elcio, Jurandir e Rafael, até onde se sabe, é inédita. Ela passa por um cume acessório do maciço montanhoso que teve trilha inaugurada há pouco tempo até o cume do Jacutinga, com 1100 metros. De lá, o grupo desceu via crista até o colo entre ele e o Ibitirati, num local com 920m, de onde eles começaram a subida frontal até o local onde eles realizaram um bivac, batizado pelo grupo de "cabide",  que recebeu este nome pois eles dormiram numa inclinação superior a 50 graus.
 
No segundo dia o grupo continuou até chegar no começo dos degraus, um local há que desníveis topográficos abruptos onde estão os lances mais técnicos da subida. Nas palavras do próprio Elcio Douglas:
 
"Seguimos contornando a esquerda pela base, tentando encontrar uma passagem. Chegamos num ponto onde havia abismos verticais tanta abaixo como acima e então comuniquei aos amigos que por ali não daria e sugeri que devíamos descer até achar uma passagem segura para o outro lado do vale,  mas então encontramos uma possível passagem subindo por uma fenda. O Jurandir, o melhor que escalava entre nós, se meteu solando a roubada e conseguiu chegar ao topo do platô, mas como o trepa mato era muito frágil, tivemos que abrir mão de uma corda que fixamos numa árvore". 
 
O grupo chegou o Ibitirati, sub cume do Pico Paraná, às 14 horas e uma hora depois no ponto mais alto do Sul do país. A descida foi pela rota normal, pela face Oeste e eles foram resgatados as 21 horas na rodovia BR 116.
 
A realização desta nova rota e a travessia teve um gosto especial para Elcio. Ele havia realizado esta travessia no itinerário inverso em 2003 com dois amigos, o Ivon Cesar Sales e Paulo Marinho. Em 2004 ele repetiu com Julio Fiori e Paulo Marinho novamente. Seu relato, publicado aqui no AltaMontanha, foi muito criticado, pois afirmava que havia sido uma conquista e um leitor afirmou que não se conquistava uma montanha de cima para baixo. Invertendo o itinerário, Elcio corrigiu esta injustiça histórica. 
 
Apesar de pouco conhecidos fora do Paraná, Elcio e Jurandir são uns dos montanhistas mais fortes e ativos do Brasil. Juntos eles realizaram em 2012 a travessia Alfa Crucis, de 105 km pela Serra do Mar, certamente a maior, mais complexa e difícil travessia entre montanhas do Brasil, nunca repetida. Eles são conhecidos por realizarem trekkings longos em tempos reduzidos e também se aventuram nas montanhas andinas. Elcio em 2008 escalou o Aconcagua de camiseta e Jurandir, no começo deste ano, fez cume no Cerro Plata e Vallecitos, montanhas populares de Mendoza, Argentina, num único dia.
 

Publicidade:


Publicidade

Publicidade