Patagonia em maus lençóis: fornecedor de lã da marca é acusado de maus tratos animais - AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras
Indústria

Patagonia em maus lençóis: fornecedor de lã da marca é acusado de maus tratos animais

A sociedade americana de ativismo animal PETA (Pessoas pelo tratamento ético dos animais, na sigla em inglês) divulgou um vídeo de práticas cruéis contra animais encontradas nas fazendas da Ovis 21, principal responsável pelo fornecimento da lã usada nos produtos da marca.

Fonte: Redação

O vídeo inclui imagens dos lugares onde as ovelhas vivem, castração e corte de partes dos animais feitos sem anestésicos, ferimentos causados pela tosa e suposto esfolamento das ovelhas ainda vivas. A PETA fez um apelo em que incentiva os consumidores a pedir para a Patagonia que “pare de usar lã imediatamente, e substitua o material por outro, que não agrida animais”. Eles ainda dizem que a propaganda que a Patagonia faz, dizendo que a lã usada em seus produtos vem de fontes responsáveis, engana os consumidores que se importam com a questão.
 
Veja abaixo o vídeo das ovelhas da Ovis 21, que fornece lã para a Patagonia:
(ATENÇÃO: O vídeo contém cenas fortes de maus tratos animais que podem incomodar algumas pessoas).
 

A Patagonia respondeu rapidamente ao vídeo com uma declaração em sua página no Facebook: “O vídeo divulgado pela PETA mostrando maus-tratos animais nos ranchos onde a lã que usamos é produzida é chocante e entristecedor. Nos responsabilizamos e pedimos desculpas pelo mal feito em nosso nome. Não há desculpas para métodos violentos e desumanos de tosa e manutenção dos animais”. Veja a declaração inteira da Patagonia aqui
 
A parceria entre a Patagonia e a Ovis 21 começou em 2011, buscando desenvolver um novo jeito de cultivar lã, que regenerasse as terras usadas, mantivesse viva a tradição na região da Patagônia onde as ovelhas são cultivadas e produzisse lã de qualidade para seus produtos. Mas a companhia admitiu que não faz a verificação in loco da situação das fazendas produtoras da rede. No primeiro comunicado divulgado pela marca, a Patagonia prometeu investigar o ocorrido e tentar fazer as mudanças e melhorias necessárias, mas em um comunicado posterior, divulgado dia 17, a marca admite que não há como mudar as práticas da Ovis 21 no momento, e que portanto deixam de trabalhar com a organização. Em declaração dada pela CEO da marca, Rose Marcario, a Patagonia também afirmou que não deixará de usar a lã em seus produtos: "Não acreditamos na ideia de que a crueldade é necessária ao cultivo de lã, apesar do que a PETA diz, e continuaremos a usar o material devido a suas características únicas de performance". 
 
O vídeo da PETA é especialmente chocante porque a Patagonia, fundada em 1973 pelo aventureiro Yvon Chouinard, é uma marca que cresceu baseada em valores de responsabilidade social e animal, sustentabilidade e ética. A missão da marca é “Construir o melhor produto, não causar nenhum mal desnecessário, usar os negócios para inspirar e implementar soluções à crise ambiental”. Muitos de seus clientes mais fiéis têm a marca em alta estima devido à sensação de consumo responsável que ela propaga – e que vem se enfraquecendo graças a episódios como este. Não é a primeira vez que a Patagonia descobre condutas repreensíveis em sua rede de fornecedores. Fica a citério do consumidor acreditar – ou não – que a marca não sabia das práticas abusivas.  

Publicidade